História

Somos uma empresa cujo objectivo é “Unir as pessoas por um mundo melhor”.

A nossa história como Cervejas de Moçambique iniciou em 1995. Foi neste ano que a CDM foi vendida ao grupo Sul-Africano, South African Breweries International, tendo este sido um dos primeiros investimentos externos efectuados em Moçambique na sequência de privatizações conduzidas pelo Governo.

Após vários anos de operação a partir de Maputo e Beira, em 2009, a CDM expandiu as suas infra-estruturas para a região Norte, com a construção da fábrica de Nampula.

Um dos últimos capítulos desta história acontece em Outubro de 2016, quando a Anheuser-Busch InBev (AB InBev) fundiu-se com a SABMiller Plc, tornando-se assim, indirectamente, o accionista principal da CDM.

A nossa história continua: trabalhamos diariamente para mantermos a nossa posição de relevância no ecossistema empresarial Moçambicano, isto não apenas sob ponto de vista quantitativo mas igualmente sob ponto de vista qualitativo, sendo cada vez mais um actor relevante à nível de Responsabilidade Social.


MARCOS IMPORTANTES

  • 2019

    As cervejas 2M, Manica, Laurentina Preta e Impala Mandioca foram distinguidas pelo prémio de qualidade de “Ouro” e a Impala Milho, pelo prémio de qualidade de “Prata” pela Monde Selection.

  • 2018

    Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra da Nova Fábrica da CDM em Marracuene.

  • 2017

    Início da produção da Castle Lite em Moçambique.

  • 2017

    Lançamento da Impala Milho, mundialmente, a primeira cerveja clara produzida usando o milho como matéria-prima principal.

  • 2015

    A Laurentina Preta foi considerada a melhor cerveja preta de África, nos African Beer Awards.

  • 2013

    A Laurentina Preta foi considerada a melhor cerveja preta de África, nos African Beer Awards.

  • 2010

    Chibuku, marca de cerveja opaca, foi lançado em Moçambique.

  • 2010

    A Cervejas de Moçambique inaugura a fábrica de Nampula , construída de raíz.

  • 2009

    A Laurentina Premium ganhou a medalha Grand Gold pela sua qualidade no concurso internacional Monde Selection, em Bruxelas.

  • 2008

    A Laurentina Preta foi reconhecida com Medalha de Ouro no concurso internacional de qualidade Monde Selection.

  • 2008

    Foi lançada a Laurentina Premium, uma cerveja especial, moderna e sofisticada, feita de 100% malte.

  • 2002

    A CDM adquire a Laurentina Cervejas e passa a produzir as marcas Laurentina Clara e Lautentina Preta.

  • 2001

    A CDM torna-se a primeira empresa moçambicana cotada na Bolsa de Valores de Moçambique.

  • 1995

    Nasce a Cervejas de Moçambique, SARL, resultado da privatização das fábricas de Cerveja MacMahon e Manica, localizadas, respectivamente, em Maputo e na Beira.

  • 1980

    O Estado Moçambicano nacionalizou a Sogere.

  • 1955

    Foi instalada a Fábrica Manica, na Beira.

  • 1950

    Foi inaugurada a fábrica Mac Mahon em Maputo, cujo nome deu origem também ao nome da mais popular cerveja de Moçambique, a 2M.

  • 1932

    A Laurentina Clara, primeira cerveja de Moçambique, foi lançada por um imigrante grego chamado Cretikos, que fundou a fábrica Vitória.